Força De Vontade X Desejo

Na segunda-feira, quando o despertador tocou, abriu os olhos e puxou um pouco a cortina. Ainda estava muito escuro. Suspirou lentamente. A orientação médica não deixava dúvidas: teria que emagrecer bastante, se quisesse viver mais e com qualidade de vida. E no pacote “Perca 20 kgs já!” estava inserida a atividade física.

Na noite anterior, havia deixado a roupa e os tênis prontos, de modo a facilitar a vida. A mensalidade já havia sido paga, porque esse negócio de vou fazer caminhada na rua não funcionava com ele. Tinha que doer no bolso. Mas o que doía mais era ter que sair de debaixo das cobertas quentinhas, quando os termômetros anunciavam 13º C. E levantar os 110 quilos, tontos de sono, daquela maciez dos lençóis era aviltante. Porém, teria que ter força de vontade. Não era isso que diziam? Que sem força de vontade não se faz nada na vida? Que não se atinge os objetivos? Então, clamando pela Nossa Senhora da Força de Vontade, ele sentou na cama e abriu novamente as cortinas. Estava começando a chover. Resolveu deitar de novo. Começaria amanhã.

Você já passou por situação semelhante, caro leitor? Talvez você não tenha peso a perder, mas tem aulas a assistir, provas a fazer, concursos a realizar, dinheiro a economizar, cigarros a eliminar. Ou qualquer outra situação que exija força de vontade para chegar lá. Então, vamos examinar mais de perto o que seja esse conceito.

Segundo alguns sites, a força de vontade é a capacidade de esforço de um ser humano para cumprir com um plano de ação em consequência de um objetivo. Que lindo! Até aí tudo bem, se fosse assim tão fácil. Se dependêssemos somente da razão, não fumaríamos, porque cigarro causa câncer; estudaríamos mais, porque sem estudo não vamos muito longe, em termos profissionais e pessoais; comeríamos comidas mais saudáveis, porque queremos viver mais e melhor. Seria somente uma questão de pensar assim: Muito bem, quero ter mais qualidade de vida, então, como sei que a probabilidade de ficar doente é imensa se continuar a fumar 2 maços de cigarro por dia, a partir de agora não fumo mais. E seguiríamos felizes pela vida, deixando no passado o gosto pela nicotina. Mas é assim que acontece? Até a mais ingênua das pessoas sabe que isso é utopia. A não ser que…

Essa situação aconteceu com meu avô. O médico foi explícito e assertivo quando disse: “ou para imediatamente de fumar ou vai morrer logo!.” Vô Tião levou um susto! Porque amava a vida. Amava tanto que fazia coisas que nunca fiz: acampava, ia a bailes de carnaval fantasiado, adorava uma massa bem feita e era muito brincalhão. Um verdadeiro vôzinho fofo, de bigode branco. Depois do ultimato médico, podíamos sentir seu sofrimento pela ausência do cigarro. Mas ele parou imediatamente. Tanto que viveu mais uns 30 anos e viveu muito bem.

Então, qual a diferença entre meu Vô Tião e aquela pessoa que não tem nenhuma força de vontade? A diferença, caro leitor, é algo que Freud chamou de inconsciente. O Pai da Psicanálise dizia que O Ego não é o senhor na sua própria casa, o que quer dizer que podemos decidir que, sim, amanhã, sem falta, vamos nos exercitar na academia. Mas basta um entrave pequeno, tipo frio e chuva (nunca ouvi falar que chovesse dentro de uma academia), para fazer com que nosso inconsciente explicite nosso desejo: “Ah, quer saber? Não quero emagrecer, não, porque o prazer de comer é imediato e o prazer de viver mais magro vai demorar muiiiiito a aparecer. Portanto, vou ficar aqui, bem quentinho debaixo desse cobertor, e deixa o pau quebrar lá fora.” E então, enquanto não aparece o DESEJO, vamos nos deixando ludibriar pelo conceito de força de vontade.

A força de vontade dá muito trabalho. Fale em voz alta, agora. “Força de vontade…”Não parece que você está despendendo muita energia, muita potência, muito esforço? Ufa, que canseira!!! Agora fale “desejo…desejo…desejo…”. Não soa muito mais suave? Mas em contraponto a essa suavidade, o desejo é avassalador! Quando ele irrompe, sai de baixo! Quando ele irrompe e você se projeta no futuro e se vê passando naquele concurso tão almejado, você arregaça as mangas e estuda, mesmo se estiver chovendo canivete. Porque abdica do prazer imediato para desfrutar do prazer imenso que virá quando tiver conseguido seu objetivo.

Gostaria de fazer uma última sugestão: caso você esteja passando por alguma situação parecida com as que descrevi acima e perceba que está se autoboicotando, pergunte a si mesmo e seja sincero nas respostas:

1) Quero realmente alcançar tal objetivo?;
2) Se quero, porque não ajo de acordo a consegui-lo?;
3) O que pode estar me travando?;
4) Será que esse objetivo é meu, mesmo, ou está sendo imposto por alguém? (pai, mãe, namorado, marido, namorada, esposa, professor, chefe etc);
5) Após refletir, que decisão tomo? Pegar ou largar?

Caso você tenha dificuldades para responder essas perguntas, uma boa psicoterapia, com certeza, vai ajudar.

escrita

Website:

2 Comentários

  1. Tannes Ferreira

    Eu leio e reflito em todos os textos do blog 😊
    tenho guardado no meu celular uma frase que diz assim: Se a questão fosse apenas esforço e força de vontade. Todo padeiro e catador de latinha morreriam milionários.

    Sabia que tinha algo por trás nessa frase. 🤔
    Quando li: Agora fale “desejo…desejo…desejo…”. Não soa muito mais suave? Mas em contraponto a essa suavidade, o desejo é avassalador! Quando ele irrompe, sai de baixo! Quando ele irrompe e você se projeta no futuro.)
    Pensei: Ah, é o desejo!
    uhhuuuuuuullll, deixa eu ir ali anotar meus desejos e responder as perguntas do final do texto 😁😁

    • escrita

      Rsrsrs….Você é ótima, Tannes! É isso que eu desejo: que as fichas caiam e que as pessoas dêem um salto, na altura do que lhes é possível. Grande beijo!

Deixe uma resposta para Tannes Ferreira Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *