Constelações

CONSTELAÇÕES SISTÊMICAS OU CONSTELAÇÕES FAMILIARES

Daniela não entendia porque possuía tantos diplomas, entre graduação, pós graduação, mestrado, cursos de extensão e…não conseguia ganhar dinheiro e sobreviver da sua profissão;

Arthur arrastava um casamento mal sucedido há muitos anos. Mas não suportava a ideia da separação. A sua não era uma família de gente que se separava;

Beatriz tentava, há 5 anos, entrar na faculdade de medicina. Apesar de ser estudiosa e saber a matéria, algo a estava bloqueando;

Leandro tinha o emprego dos sonhos, numa multinacional. E estava infeliz! Lembrava-se, incessantemente, da sapataria simples do avô, no interior. E tão infeliz ficou, que achou um jeito de ser demitido;

Yasmin tentava engravidar há tempos. Mas tudo o que conseguia era perder os bebês;

A casa estava à venda havia 3 anos. Nenhum interessado. Ninguém entendia o porquê;

A vida pesava para Adriana: sentia-se responsável pelos pais e pelos irmãos mais velhos. Estava difícil carregar tanto peso;

Léo acabara de se formar em Direito. Escolhera o curso sem pressão alguma e, agora, tudo o que queria era sumir no mundo. Não se entusiasmava por nenhuma área da profissão;

Tudo o que Mariana queria era um relacionamento amoroso sério, fixo e prazeroso. Tudo o que conseguia era colecionar decepções sucessivas. Lembrou-se da avó…abandonada pelo avô, com 5 filhos para criar sozinha. Da mãe, que teve o mesmo destino…Será que às mulheres da família era vedada a felicidade no amor?

Dona Elza passara a vida numa melancolia sem fim. Havia se casado e já era avó, mas a nuvem negra a rondava sem cessar e ela não sabia de onde vinha aquilo. Somente suspeitava que os motivos eram os 6 bebês que havia perdido espontaneamente.

Casos verídicos cujos nomes foram trocados. E o que as descrições acima têm a ver com as Constelações Familiares?

O termo Constelações Familiares ou Constelações Sistêmicas refere-se a um trabalho filosófico e de ajuda, que foi desenvolvido pelo pedagogo, teólogo e filósofo alemão Bert Hellinger, nascido em 1925.

Após 16 anos de trabalho com as tribos Zulus africanas, Hellinger desenvolveu sua própria abordagem, a partir das experiências com dinâmicas de grupos, análise transacional e outros tipos de teorias. Essa abordagem sustenta que, assim como a lei da gravidade, existem leis sistêmicas que, se forem transgredidas, produzem  emaranhamentos passíveis de serem transmitidos às futuras gerações. São elas:

PERTENCIMENTO

Todos têm o igual direito de pertencer, ainda que tenham cometido atos condenáveis, pecaminosos ou reprováveis. Em caso de exclusão, o Sistema atua drasticamente, de modo que o membro do grupo seja novamente incluído através de um descendente.

EXEMPLO 1: Alguém comete um crime (ou é prostituta; ou usuário de drogas; ou ladrão etc) e isso causa uma vergonha entre os familiares. Apesar de pagar sua pena na prisão, a família comporta-se de forma a apagar o passado, não comentando sobre o acontecido. O membro infrator dos valores familiares passa a ser um inconveniente e uma vergonha para os demais. Ou seja, ocorre a exclusão dessa pessoa. Como o Sistema não tolera exclusão, posteriormente um descendente (um neto, um bisneto) tenderá a se comportar de alguma forma que relembre seu antepassado.

EXEMPLO 2: Um homem termina um casamento de uma forma que causa muita dor, raiva e mágoa em sua ex-esposa. Ao contrair novo matrimônio e ter um filho dessa nova relação, este começa a comportar-se de modo conflituoso em relação ao pai, visando relembrá-lo de que existiu uma primeira mulher, a quem foi exigido o sacrifício da renúncia e que não foi apropriadamente honrada.

LEIA: http://psicologia.escritaquecura.com.br/tudo-o-que-eu-excluo-vira-fantasma/

DAR E RECEBER (EQUILÍBRIO)

Muitas pessoas desejam ser amadas, respeitadas, reconhecidas e aceitas. Então, dão demais. Entretanto, sem perceber, causam incômodos ao outro e o reconhecimento desejado não acontece. E, ainda por cima, taxam aquele que não reconheceu seu valor como ingrato sem, contudo, observar seus próprios excessos. Esse exemplo pode servir para relações interpessoais, conjugais e/ou profissionais

Imaginemos uma relação conjugal, na qual o marido é muito mais investido do que sua esposa. Ele oferece o mundo e ela não corresponde. Esse casamento, provavelmente, não terá futuro, uma vez que, pela sua incapacidade de oferecer e por estar recebendo muito, a esposa tenderá a se sentir culpada e a se afastar do marido. Este, então, ficará completamente confuso pois entende que não haveria motivo para a ruptura da relação. Nesse caso, quem deu demais sente-se no direito de cobrar e quem recebeu demais, sente-se na dívida e tem dificuldade de permanecer na relação. 

Sabe aquele funcionário que é o primeiro a chegar, o último a sair, o primeiro a se apresentar para uma tarefa? Aquele que não quer tirar férias e só o que faz é tentar agradar ao chefe e à empresa? Pois, é…é mais um exemplo do desequilíbrio entre o dar e o receber. Se for demitido, ele sentirá que foi vitimizado e, o empregador, seu algoz.

Somente entre pais e filhos poderá haver desequilíbrio nessa lei: os pais dão e os filhos recebem. Por sua vez, estes darão aos seus próprios filhos e, se não os tiverem, colocarão suas qualidades e habilidades profissionais a serviço da humanidade.

LEIA: http://psicologia.escritaquecura.com.br/equilibrio-entre-o-dar-e-o-receber/

HIERARQUIA

A Hierarquia diz respeito a quem chegou primeiro na família. Portanto, os mais velhos (bisavós, avós, pais) devem ser olhados com muito respeito e cuidado, pois foi através deles que a família veio se mantendo. A ordem de nascimento também é importante. Muitas vezes vemos o filho caçula desrespeitando seus irmãos mais velhos e tomando decisões que seriam da alçada dos mesmos. Igualmente os filhos, em sua arrogância infantil, quando sentem-se mais sábios e poderosos do que os pais, passam a se arrastar pela vida, como se carregassem um fardo que os tivesse impedindo de caminhar livremente. No trabalho, o funcionário recém-admitido, ainda que muito gabaritado, deverá honrar aqueles que já estão na empresa há mais tempo, sob pena de gerar rejeição por parte dos colegas. Da mesma forma, o fundador de uma empresa não pode ser esquecido: tem que ser honrado e lembrado sempre como sendo a pedra fundamental do lugar, que não teria nascido se não fosse seu caráter empreendedor.

O mesmo acontece quando não aceitamos nossos pais como eles são. Eles chegaram primeiro e merecem ser respeitados. Quando queremos modificá-los, perdemos força na vida.

Filhos que assumem o lugar dos pais na criação de outros irmãos, também, podem ter problemas por estar ocupando um lugar que não é deles. Um irmão pode ajudar o outro, é claro, mas, não querendo tratar seu irmão/a como filho.

Para saber se você respeita a Lei da Hierarquia, responda as questões abaixo:

1. Olho com respeito para aqueles que vieram antes de mim na minha família ou fico apenas no julgamento de suas atitudes negativas?

2. Costumo intervir nas discussões entre meus pais e tomar partido de um contra o outro.

3. Vejo meu pai ou minha mãe como mais fracos ou incapazes do que eu ao ponto de buscar resolver seus problemas mesmo quando não me pedem?

4. Mesmo quando me mostro, em algum aspecto, mais capaz do que meus irmãos mais velhos acredito ser mais importante ou ter mais direitos do que eles?

5. Assumo para mim o papel de meus pais ao tentar ajudar algum irmão mais novo ou procuro ajudar apenas como irmão quando necessário?

6. Tento prevalecer, julgando-me mais importante do que os filhos do primeiro casamento do meu marido ou da minha esposa?

7. Olho com respeito para meus antecessores e reconheço sua contribuição à empresa, mesmo que seu trabalho tenha se tornado obsoleto?

8. Imponho mudanças ao ambiente organizacional e às rotinas de trabalho, sem os devidos cuidados, sem escutar, reconhecer e valorizar aquilo que já havia de positivo ainda que seja na intenção das pessoas mais antigas ou nos seus esforços?

LEIA: http://psicologia.escritaquecura.com.br/hierarquia-a-segunda-lei-das-constelacoes-sistemicas/

CONSTELAÇÕES FAMILIARES NO TRABALHO INDIVIDUAL COM BONECOS

20161121_182340

QUAL É O OBJETIVO DAS CONSTELAÇÕES SISTÊMICAS? 

Trazer às claras o que está oculto (emaranhamento sistêmico) e buscar uma imagem de solução que inclua as leis do Pertencimento, do Equilíbrio e da Hierarquia, de forma a produzir harmonia e leveza.

O QUE AS CONSTELAÇÕES NÃO SÃO?

Constelações NÃO são mágica: Embora haja relatos de transformações imediatas na vida de alguns constelados, não se pode garantir que será assim com todos. Os efeitos das Constelações podem durar até por 2 anos;

Constelações NÃO têm absolutamente nada a ver com nenhuma doutrina ou religião: NÃO se trabalha vidas passadas, NÃO há incorporação de espíritos, NÃO há hipnose, NÃO há perda de consciência e outros similares.

Constelações NÃO são clarividência ou pensamento positivo e NÃO resolvem todos os problemas e desafios das pessoas, de uma vez.

Essas informações são fundamentais para que se saiba que as Constelações atingem o cerne da questão, clareando os emaranhamentos, mas o resultado vai depender muito do constelado estar completamente disponível para a sessão.

COMO SE DESENVOLVE?

Individualmente e em consultório, o cliente traz um tema pessoal, no qual o constelador se utiliza de bonecos ou âncoras de solo, para representar papéis da situação em questão.

QUANTO TEMPO DURA A SESSÃO?

Cerca de 1 hora e meia

QUANTAS SESSÕES SÃO NECESSÁRIAS PARA SE TRABALHAR O TEMA CONSTELADO?

Normalmente, uma única sessão

O QUE SIGNIFICA CONSTELAR UM TEMA?

A Constelação Familiar é um método de diagnóstico a partir da imagem interna que o cliente traz e que é exposta no campo de trabalho. Significa trazer um tema pessoal – bem específico – para trabalhar (dificuldades em relacionamentos interpessoais – amorosos, profissionais – desequilíbrios emocionais, medos, separações, doenças crônicas, problemas financeiros, falência, dificuldades com mudanças, repetições de padrões etc.)

É importante que você responda para sim mesmo: “O meu tema é bem específico? Sobre o que desejo constelar? É sobre saúde? É sobre dificuldades de relacionamento, seja com pais, filhos, cônjuge, colegas de trabalho, chefes, subordinados? É sobre estagnação profissional? É sobre repetição de eventos na vida?”

ATENÇÃO: Constela-se UM tema de cada vez. A dissolução de um emaranhamento em determinada esfera da vida pode repercutir beneficamente em outros aspectos. Constelar mais de um tema TIRA A FORÇA do trabalho.

20161121_185118

O QUE DEVO LEVAR EM CONTA PARA ME DECIDIR PELA CONSTELAÇÃO INDIVIDUAL COM BONECOS E/OU ÂNCORAS?

Se você tem uma dificuldade qualquer, um estranhamento a respeito do que sente e não consegue entender de onde vem essa questão e já buscou ajuda de outros profissionais, com algum ou nenhum resultado, provavelmente as Constelações Familiares individuais com bonecos ou âncoras poderão trazer à tona o que está emaranhado na sua vida e propor uma imagem de solução. Com isso, a vida passa a fluir com mais leveza e paz.

ATENÇÃO: Caso você desconheça a história de sua família ou não esteja a par dos tópicos listados abaixo, recomendo que você faça sua Constelação em grupo, com pessoas e não com bonecos.

O QUE É NECESSÁRIO SABER OU PESQUISAR NA MINHA FAMÍLIA, PARA PODER CONSTELAR?

MORTE PRECOCE: Pai ou mãe que morrem e deixam órfãos filhos menores que 15 anos; alguém que morre jovem na família; abortos; doença e morte durante ou após o parto;

CRIMES: Assassinato; suicídios; alguém que foi: excluído; abandonado; repudiado; condenado; desonrado ou não aceito (Por ter comportamentos inaceitáveis dentro dos valores familiares)

ACONTECIMENTOS QUE TROUXERAM SOFRIMENTO E CONFLITOS INTERPESSOAIS: Crianças ilegítimas; que foram abandonadas; adoções; pessoas que imigraram ou emigraram; doenças

RELACIONAMENTOS IMPORTANTES DOS PAIS ANTES DO CASAMENTO: Cônjuges anteriores; noivos ou relações inesquecíveis (principalmente as que terminaram de forma onde houve perda e sacrifício para o abandonado)

ONDE É REALIZADA A SESSÃO DE CONSTELAÇÃO SISTÊMICA?

PRESENCIALMENTE: Em consultório localizado à Rua Maria Macedo, 233/ 1105 – Nova Suíça – na junção entre Avenida Barão Homem de Melo e Avenida Silva Lobo.

COMO AGENDO A SESSÃO?

Envie um email para contato@escritaquecura.com.br OU mande uma mensagem por WhatsApp no número (31) 9973-6875

http://www.marusa.psc.br

https://www.cicloceap.com.br/